Nódoa no Brim Edição #30 | Fevereiro/2016

Por | 21 de março de 2016
principal

Lygia Fagundes Telles: um nome além do tempo

Uma das maiores autoras brasileiras, Lygia Fagundes Telles, aos 92 anos, continua firme no propósito de um fazer literário e cultural capaz de provocar inquietação no seu leitor, desalojá-lo do lugar comum. Nascida no dia 19 de abril de 1923, em São Paulo, filha de Durval Fagundes e Maria do Rosário, muda muito de cidade devido a profissão de seu pai e enriquece sua vida com histórias que, segundo ela, já inventava antes de mesmo de saber escrever. Sua atuação continua impecável através do tempo, Telles venceu o Prêmio FCW (Fundação Conrado Wessel) 2015 na categoria Cultura, a cerimônia de entrega deve ocorrer em meados de 2016.
Sua carreira de escritora começou aos quinze anos, embora prefira considerá-la a partir de Ciranda de pedra, romance publicado em 1954. As obras de Lygia Fagundes Telles estão distribuídas cronologicamente: Porão e sobrado, contos, 1938; Praia viva, contos, 1944; O cacto vermelho, contos, 1949; Ciranda de pedra, romance, 1954; Histórias do desencontro, contos, 1958; Verão no aquário, romance, 1964; Histórias escolhidas, contos, 1964; O jardim selvagem, contos, 1965; Antes do baile verde, contos, 1970; As meninas, romance, 1973; Seminário dos ratos, contos, 1977; Filhos prodígios, contos, 1978; A disciplina do amor, contos, 1980; Mistérios, contos, 1981; Venha ver o por do sol e outros contos, 1987; As horas nuas, romance, 1989; A noite escura e mais eu, contos, 1995; Biruta, contos, 2004; Histórias de mistérios, contos, 2004; Conspiração de nuvens, contos, 2007; Passaporte para a China, contos, 2011; O segredo e outras histórias de descoberta, contos, 2012. As obras de Lygia foram traduzidas para várias línguas e receberam as mais importantes premiações nacionais e internacionais. Algumas de suas premiações são as seguintes: Prêmio do Instituto Nacional do Livro (1958); Prêmio Guimarães Rosa (1972); Prêmio Coelho Neto, da Academia Brasileira de Letras (1973); Prêmio Pedro Nava, de Melhor Livro do Ano (1989); Prêmio Jabuti (Ficção) (2001); Prêmio Camões (2005) entre outros.
A autora é membro da Academia Brasileira de Letras e da Academia Paulista de Letras e, embora não tenha mais uma vida tão agitada, faz questão de comparecer às reuniões. No início do mês a UBE (União Brasileira de Escritores) fez indicação do nome de Lygia Fagundes Telles para o prêmio Nobel de Literatura 2016. Em recente homenagem recebida, Lygia relembra sua trajetória e encerra seu discurso dizendo “Faço um convite ao jovem leitor: Me leia. Não me deixe morrer.”

Ediliane Gonçalves – PPGEL/UNEMAT

 

01

02

03

04

 

O Núcleo Estudos da Literatura Wlademir Dias Pino foi criado pela Resolução n.180/2007 – CONEPE, em 07 de dezembro de 2007. Surgiu do grupo de pesquisa Estudos da Literatura de Mato Grosso, cadastrado no CNPq e liderado por Walnice Vilalva e Tieko Miyazaki.

Autor: Núcleo Wlademir Dias Pino

O Núcleo Estudos da Literatura Wlademir Dias Pino foi criado pela Resolução n.180/2007 – CONEPE, em 07 de dezembro de 2007. Surgiu do grupo de pesquisa Estudos da Literatura de Mato Grosso, cadastrado no CNPq e liderado por Walnice Vilalva e Tieko Miyazaki.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *