Nódoa no Brim Edição #31 | Março/2016

Por | 5 de abril de 2016
principal31

“Toda a vida se move”: Uma poética de Marilza Ribeiro

Marilza Ribeiro Cardoso (27/03/1934), poeta cuiabana, começou a produzir no final dos anos 50, escrevendo ininterruptamente, desde essa época, poemas, contos, crônicas, peças teatrais, e textos não literários, resultantes de suas reflexões existenciais, de sua preocupação com o sofrimento e exploração humanos – o veio engajado que permeia todos os seus escritos –, somados às leituras feitas de obras das mais diversas áreas – psicologia, psicanálise, antropologia, dramaturgia, estudos culturais etc,, que contabilizam inúmeras publicações em jornais, livros.
Com recursos próprios lança timidamente os livros Meu grito: poemas para um tempo de angústia, em 1973, escrito na década de 60, marcada pelo regime da ditadura e, caráter sintomático, por muitas manifestações culturais, festivais, teatro de protesto. Nesse período, morava em São Paulo, tendo oportunidade de participar da agitação cultural, ver de perto essa realidade e expressá-la nos poemas, abordando temas como a pressa, a automação e o alheamento, os comportamentos condicionados, a dificuldade da comunicação humana, subterraneamente portando o desejo de libertação de um regime opressivo e de silenciamento. Revelando esse perfil semioticamente, Meu grito traz, por exemplo, uma disposição fixa dos poemas nas páginas – as estrofes apresentam um mesmo formato – uma, alinhada à esquerda, outra, com recuo da margem, um conceito estético abstraído de experimentos científicos skinnerianos (TODOROV, 2004), na perspectiva comportamental, conforme explicam os versos:

Eu sou o homem da Caixa de Skinner
[…]
Moro numa grande e confortável caixa
estruturada
pela urbanização…

Sou um prisioneiro de luxo
adaptado para o ambiente
sofisticado,
impressionável,
reforçador…
(“O eu-só”, p.23)

Célia Maria Domingues da Rocha Reis (UFMT)

01020304

O Núcleo Estudos da Literatura Wlademir Dias Pino foi criado pela Resolução n.180/2007 – CONEPE, em 07 de dezembro de 2007. Surgiu do grupo de pesquisa Estudos da Literatura de Mato Grosso, cadastrado no CNPq e liderado por Walnice Vilalva e Tieko Miyazaki.

Autor: Núcleo Wlademir Dias Pino

O Núcleo Estudos da Literatura Wlademir Dias Pino foi criado pela Resolução n.180/2007 – CONEPE, em 07 de dezembro de 2007. Surgiu do grupo de pesquisa Estudos da Literatura de Mato Grosso, cadastrado no CNPq e liderado por Walnice Vilalva e Tieko Miyazaki.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *