Nódoa no Brim Edição #60 | Agosto/2018

Por | 4 de setembro de 2018
pag 1

O Voo Poemático-Visual de Wlademir Dias-Pino

A história da Literatura é um mosaico dos estudos literários, da crítica literária, teoria literária e, sobretudo, da formação do cânone. No Brasil, a partir da segunda metade do século XX, o poema discursivo (apenas escrito em versos) passa por algumas cisões e abre caminho para experimentações poético-visuais. Evidentemente, houve reações da crítica literária, seja ignorando solenemente os movimentos ou procurando depreciar as vanguardas poéticas dizendo que aquilo não era literatura. Transcorreram décadas, desde meados dos anos 50, e esse panorama não mudou muito. Nesse momento penso nos versos de Manuel Bandeira: “Estou farto do lirismo comedido/ Do lirismo bem comportado / (…) – Não quero mais saber do lirismo que não é libertação”.

É nesse contexto que surge o nome do poeta carioca/mato-grossense Wlademir Dias-Pino, cujas primeiras produções poéticas aconteceram em Cuiabá, em Mato Grosso, com as publicações: A fome dos lados (1940), poema em forma de livro que se abre na vertical, e A máquina que ri (1941), que explorava a horizontalidade da página branca. (Registro que estes livros foram objeto de estudo de uma primorosa dissertação de mestrado de Sérgio Dalate, pela UNESP); Dia da Cidade (1948), livro-poema que espacializa as palavras e os versos que o compõem. O autor mencionou, em entrevista a Paulo Silveira, em 1999, que essa teria sido a obra que o ajudou a pensar o livro A ave, publicação que o levou a ser convidado a participar da ENAC (Exposição Nacional da Arte Concreta). Silveira afirma que o referido livro “é possivelmente o primeiro livro de artista brasileiro pleno, que se autocomenta, concebido e executado integralmente por um único artista, dependente da sequencialidade das páginas e inadaptável para outros meios” (SILVEIRA, 2008, p.177). Trata-se de um produto da arte contemporânea. Tal livro tem sido objeto de estudo em diversas áreas, principalmente arte e design, posto que envolve conceitos a partir do objeto livro ou livro de arte. Foi impresso em 1955 e lançado em 1956, com edição limitada de trezentos exemplares. O autor nunca o reeditou.

Esse poeta, recentemente falecido, foi um dos principais responsáveis pelo surgimento do Intensivismo, movimento literário surgido em Mato Grosso, no final da década de 40, com manifesto publicado em dois números da revista Sarã. Somente depois veio o Concretismo (1956) em todas as suas fases e segmentos; Neo-Concretismo (1959); Poema-Práxis (1962) e, finalmente, Poema-Processo (1967). Esses movimentos são fundamentais para a compreensão do Poema Visual, até os dias de hoje.

Isaac Ramos (UNEMAT)página 01-001 página 02-001 página 03-001 página 04-001 página 05-001 página 06-001

O Núcleo Estudos da Literatura Wlademir Dias Pino foi criado pela Resolução n.180/2007 – CONEPE, em 07 de dezembro de 2007. Surgiu do grupo de pesquisa Estudos da Literatura de Mato Grosso, cadastrado no CNPq e liderado por Walnice Vilalva e Tieko Miyazaki.

Autor: Núcleo Wlademir Dias Pino

O Núcleo Estudos da Literatura Wlademir Dias Pino foi criado pela Resolução n.180/2007 – CONEPE, em 07 de dezembro de 2007. Surgiu do grupo de pesquisa Estudos da Literatura de Mato Grosso, cadastrado no CNPq e liderado por Walnice Vilalva e Tieko Miyazaki.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *